PSICOBIOENERGÉTICA  I

“Como resultado da indagação constante a respeito do processo da inteligência, da criatividade, da capacidade de aprender, da memória, de por que e como se torna possível a hipermnésia, de como atua a sugestão – entendida essa palavra no sentido técnico – dos efeitos da hipnose, do sexto sentido, enfim, DAS FUNÇÕES DO CÉREBRO/MENTE  ATÉ ENTÃO DESCONHECIDAS, CHEGAMOS À CONCLUSÃO DE QUE O SISTEMA LÍMBICO – UM CONJUNTO DE ESTRUTURAS PRIMITIVAS DO CÉREBRO – É QUE ESTARIA MAIS ENVOLVIDO NÃO SÓ COM ESSES ASPECTOS MAS TAMBÉM COM A CHAMADA FUNÇÃO PSI (com os chamados fenômenos parapsicológicos e às vezes também chamados de sobrenaturais). 

(...) A emoção, o sentimento e o contexto, todos desempenham um papel muito mais significativo no desempenho intelectual e de aprendizagem que os fatores lógicos e conscientes com base nos quais todos pensávamos estar operando. A tese do papel predominante do CÉREBRO LÍMBICO NA APRENDIZAGEM E NO DESEMPENHO INTELECTUAL parece ter sido originada com o Prof. Luiz Machado, embora alguns antecedentes  possam ser citados, tais como “a pausa córtico-talâmica”, do programa de Semântica Geral de Alfred Korzybsky, e a tradição psicanalítica que tende a encarar o processo racional humano como uma leve espuma no topo de fortes ondas de racionalização emocionalmente condicionadas.

O cérebro torna possível a inteligência, mas dificilmente ele é a SEDE DA INTELIGÊNCIA. Esta função não é algo consistente, mas é alguma coisa que a mobiliza, que a torna possível: é uma faculdade. A inteligência (a mente) ocorre fora dos limites do ser físico. Evidentemente, a estrutura do cérebro e, mais especificamente, a do SISTEMA LÍMBICO E A DO NEO-CÓRTEX tornam possível a inteligência. MAS ELA NÃO ESTÁ ALI!”. (Machado, Luiz – O Cérebro do cérebro. 1933, Rio de Janeiro).

 

Passaremos a analisar -  de modo semelhante ao que fez o Prof. Dr. Luiz Machado – a importância do Sistema Límbico no contexto geral da ação humana.

É comum encontrar-se,  em trabalhos que analisam o Sistema Límbico, a afirmação, já assentada pela fisiologia, que tal conjunto de órgãos constitutivos do nosso ser mental tem uma função primitiva: a da preservação de si mesmo e da espécie. 

O que você vai aprender agora é rigorosamente científico, portanto, verdadeiro; porém é somente meia-verdade. Contudo, teremos de saber bem esta lição para dominar totalmente - e controlar -  os Chakras.

 

Sistema Límbico: O Centro das Emoções (Júlio Rocha do Amaral, MD & Jorge Martins de Oliveira, MD, PhD)

 

Introdução: As Três Unidades do Cérebro Humano

 

 Ao longo de sua evolução, o cérebro humano adquiriu três componentes que foram surgindo e se superpondo, tal qual em um sítio arqueológico : o mais antigo, situando-se embaixo, na parte ínfero-posterior; o seguinte, em uma posição intermediária e o mais recente, localizando-se anteriormente e por cima dos outros. São eles, respectivamente: :

 

1 - O arquipálio ou cérebro primitivo, constituído pelas estruturas do tronco cerebral - bulbo, cerebelo, ponte e mesencéfalo -  pelo mais antigo núcleo da base, o globo pálido e pelos bulbos olfatórios. Corresponde ao cérebro dos répteis , também chamado complexo-R, pelo neurocientista Paul MacLean 

 

2 - O paleopálio ou cérebro intermediário (dos velhos mamíferos), formado pelas estruturas do sistema límbico. Corresponde ao cérebro dos mamíferos inferiores.

 

3 - O neopálio, também chamado cérebro superior ou racional (dos novos mamíferos), compreendendo a maior parte dos 2 hemisférios cerebrais ( formado por um tipo de córtex mais recente, denominado neocórtex) e alguns grupos neuronais subcorticais. É o cérebro dos mamíferos superiores, aí incluídos os primatas e, consequentemente, o homem. Essas três camadas cerebrais vão aparecendo, uma após a outra, durante o desenvolvimento do embrião e do feto (ontogenia), recapitulando, cronologicamente, a evolução (filogenia) das espécies, do lagarto até o homo sapiens. No dizer de MacLean, elas são três computadores biológicos que, embora interconectados, conservam, cada um, nas palavras do cientista, "suas próprias formas peculiares de inteligência, subjetividade, sentido de tempo e espaço, memória, motricidade e outras funções menos específicas".

 

Na verdade, são três unidades cerebrais que  constituem “um único cérebro”. 

 

HISTÓRICO:

 

A unidade primitiva -  arquipálio ou cérebro primitivo - é responsável pela autopreservação. É aí que nascem os mecanismos de agressão e de comportamento repetitivo. É aí também que acontecem as reações instintivas dos chamados arcos reflexos e os comandos que possibilitam algumas ações involuntárias e o controle de certas funções viscerais (cardíaca, pulmonar, intestinal etc) indispensáveis à preservação da vida.

 

O desenvolvimento dos bulbos olfatórios e de suas conexões tornou possível uma análise precisa dos estímulos olfativos e um aprimoramento das respostas orientadas por odores, como aproximação, ataque, fuga e acasalamento. No curso da evolução, parte dessas funções reptilianas foram sendo perdidas ou minimizadas (em humanos, a amígdala e o córtex entorrinal são as únicas estruturas límbicas que mantêm projeções para o sistema olfatório). É também aí, no complexo-R, que se esboçam as primeiras manifestações do fenômeno de ritualismo, através do qual o animal visa marcar posições hierárquicas no grupo e estabelecer o próprio espaço em seu nicho ecológico (delimitação de território).

 

Definição Português: Região do córtex cerebral no aspecto mediano do GIRO PARA-HIPOCAMPAL imediatamente caudal ao CÓRTEX OLFATÓRIO do úncus. O córtex entorrinal é a origem da maioria das fibras nervosas do sistema aferente à formação hipocampal (ver HIPOCAMPO), a assim chamada VIA PERFURANTE. 

 

Em 1878, o neurologista francês Paul Broca observou que, na superfície medial do cérebro dos mamíferos, logo abaixo do córtex, existe uma região constituída por núcleos de células cinzentas (neurônios), a qual ele deu o nome de lobo límbico (do latim limbus, que traduz a ideia de círculo, anel, em torno de, etc), uma vez que ela forma uma espécie de borda ao redor do tronco encefálico (em outra parte desse texto escreveremos mais sobre esses núcleos). Esse conjunto de estruturas - paleopálio ou cérebro intermediário -  mais tarde denominado sistema límbico, surgiu com a emergência dos mamíferos inferiores (mais antigos). É ele que comanda certos comportamentos necessários à sobrevivência de todos os mamíferos.  Também cria e modula funções mais específicas, as quais permitem ao animal distinguir entre o que lhe agrada ou desagrada. Aqui se desenvolvem funções afetivas, como a que induz as fêmeas a cuidarem atentamente de suas crias, ou a que promove a tendência desses animais a desenvolverem comportamentos lúdicos (gostar de brincar). Emoções e sentimentos, como ira, pavor, paixão, amor, ódio, alegria e tristeza, são criações mamíferas, originadas no sistema límbico. Este sistema é também responsável por alguns aspectos da identidade pessoal e por importantes funções ligadas à memória. 

E, com a chegada dos mamíferos superiores ao planeta, desenvolveu-se, finalmente, a terceira unidade cerebral : o neopálio ou cérebro racional, uma rede complexa de células nervosas altamente diferenciadas, capazes de produzir uma linguagem simbólica,  permitindo ao homem desempenhar tarefas intelectuais como leitura, escrita e cálculo matemático. O neopálio é o gerador de ideias ou, como diz Paul MacLean - " ele é a mãe da invenção e o pai do pensamento abstrato".

 

 

Autores: 

 

Júlio Rocha do Amaral, MD - Professor de farmacologia clínica, anatomia e fisiologia . Gerente Médico Científico da Merck S/A Indústrias Químicas. Redator de manuais didáticos sobre anatomia, fisiologia e farmacologia para uso da Merck. Supervisor de editoração das publicações científicas: Senecta, Galenus e Sinapse. Redator de protocolos e relatórios de pesquisas clínicas de produtos, a partir de 1978. Coordenador adjunto dos cursos de formação de especialistas em Oxidologia, promovidos pelo Instituto da Pessoa Humana (IPH) e Universidade do Grande Rio (UNIGRANRIO). Chefe do Serviço de Psiquiatria do Departamento de Neurociências do Instituto da Pessoa Humana (IPH). Co-autor do livro 'Princípios de Neurociências”, entre outros. Email:julioamaral@olimpo.com.br

  

Jorge Martins de Oliveira, MD, PhD  

Professor Titular e Mestre da UFRJ.  

Livre-Docente da UFF. Coordenador  

Científico e Diretor do Departamento  

de Neurociências do Instituto da Pessoa Humana (RJ). Fellow em Pesquisa pelo Saint Vincent Charity Hospital, Cleveland, USA. Membro Titular da Academia Brasileira de Medicina Militar. Membro da Academia Brasileira de Médicos Escritores,  

Diplomado pela Escola Superior  

de Guerra (ESG). Membro do Corpo  

Editorial da revista Cérebro & Mente. Autor de "Princípios de Neurociências", entre diversos outros. Email:olivermarti@olimpo.com.br

 

 

Conhecendo as funções do sistema límbico

 

Localizado nas estruturas do cérebro tem formato de um anel cortical de cor acinzentada.

 

O sistema límbico é o responsável basicamente por controlar as emoções e as funções de aprendizado e da memória, localizado nas estruturas do cérebro tem formato de um anel cortical de cor acinzentada, formado por neurônios ele possui várias estruturas e cada uma delas tem suas funções.

 

Estruturas do Sistema Límbico 

 

- Hipotálamo: O tamanho desta estrutura é menor do que um grão de ervilha, representando menos de 1% do tamanho do cérebro, tem como função regular o sono, a libido, o apetite, e a temperatura corporal fazendo o sangue resfriar;

 

- Corpos mamilares: Se relaciona com o Hipotálamo, tem função de regular os reflexos alimentares do homem, a deglutição e o desejo por algum alimento delicioso;

 

- Tálamo: Se encontra nos dois lados do cérebro, é responsável pelos quatro sentidos do homem, e também é responsável pela sensação de dor, quente ou frio, pressão de um ambiente nos ouvidos;

 

- Giro cingulado: Adjacência do Tálamo, estimular esse local com algum medicamento ou problema psicológico pode causar alucinações, alterações das emoções, estrutura que causa grande interesse aos neuropsicológicos, além de controlar o poder do olfato e visão;

 

- Amígdala: O cérebro possui duas amígdalas  localizadas no lobo temporal, e ambos os lados, responsáveis  pela sensação de perigo, medo e ansiedade;

 

- Hipocampo: Está localizado no lobo temporal, tem função da memoria recente. Quando uma pessoa tem acesso a uma memoria recente o hipocampo faz com que o metabolismo aumente o fluxo sanguíneo.

 

Fonte: http://www.portaleducacao.com.br/medicina/artigos/50288/conhecendo-as-funcoes-do-sistema-limbico#ixzz3aCRdVPW0

 

 

 

Please reload

Destaques

Aula em vídeo 05/12/2019 - Os Aspectos de Jesus

05/12/2019

1/10
Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Archive
Please reload

Search By Tags
Please reload

Follow Us
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© by ICTYS. Entre em contato clicando aqui: