© by ICTYS. Entre em contato clicando aqui:

Curso Avançado de Yoga VI

06/05/2015

RELAX COM VISUALIZAÇÃO DOS CHAKRAS

 

Deite-se confortavelmente  em um lugar e hora em que não haja nenhuma interrupção nem barulho desagradável.

 

Dê preferência à posição deitada de costas, sobre uma superfície macia, mas não demais para não dormir.

 

Agora ponha a atenção nos teus pés. Imagine uma força ou energia entrando pelos teus pés. Procure sentir que isso está acontecendo, porque de fato está. 

 

Ponha a atenção no teu pé esquerdo e pense que a energia está entrando pelo pé e você a está retendo nos tornozelos. Ordene que o ponto-de-força existente na articulação do tornozelo filtre a energia que você está recebendo, vinda da terra.

 

Acredite que está acontecendo, pois apenas com uma ordem mental o ponto-de-força aumenta a atividade de filtragem da energia telúrica que recebe.

 

Ponha a atenção no teu pé direito e faça o mesmo.       

Agora leve as energias telúricas para cima, pelas pernas, até o joelho: o esquerdo e o direito. Ordene mentalmente que o ponto-de-força do joelho direito filtre a energia que está entrando por ele no teu corpo.

 

Faça o mesmo no joelho esquerdo.

 

A dupla corrente IDA e PÍNGALA está percorrendo o caminho dela, a partir da terra, dos pés até o cóccix.

 

A energia está chegando ao ponto de união do osso da coxa com o quadril, que tem um ponto-de-força chamado “trocanter”; ordene que a energia seja filtrada antes de atingir o cóccix. Faça isso em ambos os lados do corpo, direito e esquerdo. A dupla corrente irá fazer seu percurso até o extremo inferior da coluna vertebral, o cóccix.

Neste ponto do exercício, uma outra corrente de energia telúrica entra em cena: SUSHUMNA.  Ela salta do solo e atinge o cóccix, juntando-se às outras duas correntes anteriores: IDA e PÍNGALA. 

As três correntes se encontram no PLEXO COCCÍGEO, que fica próximo do GÂNGLIO ESPINAL COCCÍGEO (VER FIGURA):

 Neste ponto também se encontra A GLÂNDULA SEXUAL ou GÔNADA – testículos no homem e ovários na mulher – e a tríplice corrente telúrica interage com esses três itens produzindo uma corrente eletro-magnética: 

 

A corrente eletro-magnética exerce atração sobre o equivalente a esse ponto no DUPLO ETÈRICO:

 

Na figura acima, podemos tomar o corpo representado à nossa esquerda como sendo o físico, e o que se representou à direita como sendo o Corpo Etérico. 

Veja bem os pontos homólogos na região genésica, tanto no etérico quanto no físico. 

 

Fácil é imaginar que o ponto do Corpo Físico, energizado pela tríplice corrente, torna-se atrativo, e logo em seguida a Corrente Cósmica, que está no Duplo Etérico, é “puxada” para o ponto homólogo do corpo físico, biológico. 

 

O trajeto é o CHAKRA:

 O campo magnético que sai do corpo físico para o DUPLO ETÉRICO não é visível! Mas imagine-o em forma de um VÓRTICE saindo do ponto genésico biológico, cujo giro é no sentido dos ponteiros do relógio. Esse campo deve ter “algo” a nível físico, pois estamos aqui lidando com uma realidade física: fóton, por exemplo. O VÓRTICE assemelha-se a um BURACO NEGRO que “engole” a energia cósmica, a qual está correndo por dentro do DUPLO no ponto homólogo. Imagine tudo isso acontecendo.

 

O ato de “engolir” feito pelo vórtice que parte do triplo agente – plexo, gânglio, gônadas – traz a energia cósmica numa formação também em vórtice, porém COLORIDA e no sentido contrário aos ponteiros do relógio. É  como uma respiração. Isto acontece para a frente e para trás do corpo físico, como na figura abaixo:

 Imagine, portanto, o CAMPO MAGNÉTICO EM FORMA DE VÓRTICE, INCOLOR partindo do corpo físico e trazendo outro VÓRTICE COLORIDO do DUPLO ETÉRICO. Lembre-se que são semelhantes a um ciclone: tanto o vórtice que vai quanto o que vem; e vai girando em um sentido e volta girando em sentido contrário.

 

O vórtice que sai do DUPLO ETÉRICO, já o dissemos, é colorido. Neste caso, vermelho vivo. Ele atinge a glândula, a célula ganglionar e o plexo do ponto genésico; no momento em que isso ocorre, forma uma dupla corrente: uma sobe pela medula, na direção do cérebro, e a outra, em forma de um relâmpago, invade o corpo, criando os NADIS. Este é o nome que se dá aos veios energéticos formados no corpo – semelhantes às artérias e veias – e vão energizar todas as células do corpo que estão em seu percurso:

 A acupuntura trabalha com essa irradiação. Agulhas são colocadas por onde elas passam, alterando o estado emocional e a saúde em geral da pessoa que está sendo tratada.

 

Os yogues afirmam haver 72 mil nadis percorrendo nosso corpo: invisíveis, porém reais.

Vamos acompanhar a parte da corrente -  vermelha – que estará subindo pela medula:

Como foi dito anteriormente, a corrente que sobe pela medula “tem a intenção” de chegar ao cérebro – precisamente à glândula hipófise ou pituitária, e, talvez, atingir a pineal, ambas no interior do cérebro:

 

Imagine bem claramente, nitidamente, a corrente ascendente, vermelho-vivo, saindo da região genésica e subindo pela medula, até chegar à glândula seguinte, o pâncreas.

O processo se repete, mas o vórtice que sai do DUPLO ETÉRICO nesse ponto – pâncreas - é LARANJA.

 

Lembre que tão logo deixa o DUPLO ETÉRICO o vórtice (que pode já ser chamado de chakra) tem uma cor nitidamente percebida. Portanto, visualize o cone/ciclone da cor indicada pela tabela em cada glândula, de baixo para cima.

 

Uma vez mais, imagine a repetição do processo: o campo eletro-magnético cria um vórtice incolor, o qual “engole” a energia cósmica situada dentro do CORPO ETÉRICO, formando um outro vórtice, este colorido, subindo pela medula, GLÂNDULA APÓS GLÂNDULA, até chegar ao seu ÚLTIMO ponto : a glândula hipófise ou pituitária. Aqui, a cor é azul cobalto, ou azul-marinho.

OS VÓRTICES, PELA FRENTE E POR TRÁS DO CORPO, AO LONGO DA MEDULA, DESDE A REGIÃO GENÉSICA (GLÂNDULAS SEXUAIS) ATÉ CHEGAR NA ALTURA DAS SOBRANCELHAS (GLÂNDULA HIPÓFISE OU PITUITÁRIA):

 

Pratique esse exercício de visualização da formação dos CHAKRAS até que o tenha memorizado POR INTEIRO E COMPLETAMENTE.

 

Provavelmente, EM DETERMINADO MOMENTO, você deixará de compor a imagem voluntariamente (FANTASIA), e ela formar-se-á sozinha,  pelo efeito da tomada do processo pelo subconsciente (IMAGINAÇÃO).

 

Será então que se chamará, apropriadamente, VISUALIZAÇÃO DOS CHAKRAS. BOA SORTE !

 

Please reload

Destaques

Aula em vídeo 34: a criação do mal x a misericórdia

31/10/2019

1/10
Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Archive