© by ICTYS. Entre em contato clicando aqui:

Curso de Magia Branca - 8: solidificando a comunicação estabelecida com Javeh

MEDITAÇÃO ESPECÍFICA PARA A LETRA “THAU”  

 

Imagine que você está sentado(a) ao lado de um velho poço seco, concentrando-se em concretizar um tipo de conhecimento alguma vez desejado, clara ou nebulosamente, já há algum tempo. Você acha que está muito perto de realizar este desejo, de receber A RESPOSTA para a sua pergunta essencial, concretizando essa visão tão desejada, que lhe preocupa há tempos.   Mas há algo que lhe escapa da sua percepção consciente.

 

Nessa concentração profunda, parece que sua consciência se perde na imensidão durante algum tempo, enquanto olha para o fundo do poço naquele devaneio.  E aí, meio sonhando meio acordado(a), parece que você DESLIZA para dentro do poço , ventre da Mãe Terra, Gaia ou Géia. Para sua surpresa, ao chegar ao fundo, você encontra um   portal e um túnel escavado além dele.  Resolvido(a) a entrar nele, você nota que logo adiante há  uma velha PORTA DE MADEIRA, a qual você abre por curiosidade.

 

Imediatamente você percebe que há uma ESTRUTURA CÚBICA  com uma toalha de renda. Sobre a toalha, uma lamparina e um GRANDE LIVRO, tudo arrumado para dar a sensação de um PEQUENO ALTAR. 

 

O ar fica impregnado de um odor penetrante e você nota a fumaça de um agradável incenso que vem do chão, onde há FEIXES DE TRIGO espalhados. Há  DUAS COLUNAS DE MÁRMORE COLORIDO  de cada lado do Altar, e as paredes do poço possuem gravuras curiosas por toda a sua extensão.  De um lado há UM TOURO ALADO, e de outro, UMA ÁGUIA EM PLENO VÔO; do outro, UM LEÃO COM ASAS ENORMES, e, em uma parede que se distingue mais das outras, UMA FIGURA DE UM ANJO com um perfil feminino, de cabelos bem compridos.  Pode-se sentir a Aura de  Mistério na Caverna, e você obedece à sua vontade de ir mais longe e sondar a Caverna.

 

A medida em que você anda cautelosamente, o túnel vai ficando mais estreito e escuro e você percebe que a LAMPARINA DO ALTAR  não irradia luz suficiente  para permitir que vás muito mais adiante. Nesse preciso momento, a figura do Anjo que estava na parede da Caverna aparece à sua frente e, com um movimento gracioso, ondulatório, sem tocar no solo, desliza pelo ar buscando a tua mão para guiá-lo(a) naquela escuridão cor de anil.  O seu misterioso amigo irradia uma suave luz branca e fica pairando ao teu lado enquanto você dá alguns passos até uma fenda da rocha que deixa passar um feixe de luz do SOL.  Aqui, você pára, a fim de decidir se é melhor continuar ou voltar.

 

Teu guia também pára, esperando você decidir o que fazer.  Então você se aproxima da fenda iluminada e se admira ao ver um riozinho em cujas margens estão espalhadas pedras preciosas de todo o gênero e espécie, com um maravilhoso brilho rutilante.  Mas dentro do rio há uma família de crocodilos, além de outras criaturas reptilianas que você não consegue identificar.  Sobre a região incrustada de pedras preciosas ondulam espectros que aparecem e tornam a desaparecer.  Tudo aquilo lhe parece interessante, mas está desviando sua atenção da tua jornada, e você decide prosseguir pela SENDA INICIAL.

 

Sintonizado com tua decisão seu guia se move, segurando a tua mão e conduzindo você por aquela gruta sombria.  O ar vai ficando mais carregado, o que faz você pensar se tua decisão foi a mais acertada; porém, de algum modo, sente uma confiança profunda no TEU AMIGO ANGÉLICO, por isso não hesita em fazer a tua caminhada com toda a rapidez. 

 

Então aparece um outro rio subterrâneo, e à medida que você se aproxima dele, percebe um ar denso e quente. Quando vocês dois estão bem próximos do rio, seu guia pára e aos poucos você percebe que não é um rio comum, mas um RIO DE CHUMBO, como se tivesse sido formado por  uma espécie de lava vulcânica.  Um vórtice ou redemoinho no meio da água, parecendo sugar tudo da superfície para o fundo do rio, lhe faz arregalar os olhos, impressionado(a).  Com um sobressalto, você percebe, nas margens daquele curso de água abrasador, os restos de UM ESQUELETO COM UMA FOICE  PRATEADA  NA MÃO. 

 

Desapareceu, de repente, toda a certeza do que fazer, diante daquela aparição, mas o teu guia puxa suavemente tua mão para a direita.  Você nota, então, uma grande fenda na parede da Caverna, a qual lhe parece convidativa e refrescante, dirigindo-se para aquela direção.  Nesse momento, a figura do seu guia abre suas gloriosas e belas asas, e desaparece... sem saber o que mais fazer, você entra pela fenda e atravessa a Caverna, saindo dela para um mundo de Luz, Flores e um ar perfumado e aromatizado gostosamente. 

 

Tudo mudou : você consegue VER, e como tudo que aparece à tua vista é maravilhoso! Você acha que chegou ao Jardim do Éden.  Então você percebe uma moça linda, sentada sobre uma plantação de narcisos, em meio àquele Jardim. Ela está rodeada de pedras pequenas e coloridas, e tem no colo vários ramos de narcisos.  Ela lhe dirige o olhar, e você se aproxima dela, timidamente.  Já perto, não consegue evitar o desejo de tocá-la com as pontas dos dedos.  Ela sorri, e, sentindo o cansaço da caminhada nos braços e nas pernas, você senta no seu colo e abraça-a. 

 

Ela recebe você em um abraço acolhedor, e você encosta suavemente a cabeça no ombro da bela dama do Jardim, respirando o aroma de sua flores, sabendo que, de algum modo, aquela beldade possui a resposta ao teu desejo tão longamente guardado. Com a curiosidade de quem sabe que vai ser atendido, você olha para o rosto da moça com a intenção de fazer a pergunta que te dará a satisfação do teu desejo... mas não é mais uma linda  jovem que está ali, ao teu lado, e sim um senhora madura, de olhos e boca cheios de sabedoria e bondade :  É GAIA,  a boa deusa, a Grande Mãe Terra. Você sente uma profunda paz diante da revelação da personagem mitológica que é, na verdade, o Arquétipo de todas as mães, e do poder criador feminino de Javeh.

 

Então você sente uma leve batida no seu ombro.  Erguendo o olhar na esperança de ver novamente o teu guia que voltara,  percebe que se trata apenas de um desconhecido visitando, como você, o velho poço, e que lhe tira, assim do teu devaneio...  Ele lhe diz que decidiu fazer uma pausa na própria jornada, e lhe pede tua opinião.  Você o aconselha a seguir a decisão tomada por ele, que lhe pergunta se está tudo bem com você.  Então, e só então, você desperta do seu sonho irreal, percebendo que tivera uma percepção clara da Iniciação no Elemento Terra.   Sorri para o recém-chegado e deixa cair uma moeda no poço-dos-desejos, em sinal de agradecimento pela lição que ele te proporcionara.

 

 

                                FIM

 

Marlanfe --- 25 de oct de 2011.

 

 

 

Please reload

Destaques

Aula em vídeo 34: a criação do mal x a misericórdia

31/10/2019

1/10
Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Archive